Terça, 22 de outubro de 201922/10/2019
Pati Presentes
POLÍTICA
Deputado gasta R$ 1,7 mil com vinhos e cerveja e é ressarcido com dinheiro público
Pedro Kemp admitiu erro e garantiu ressarcimento aos cofres públicos
Redação Ivinhema - MS
Postada em 16/09/2019 ás 17h45
Deputado gasta R$ 1,7 mil com vinhos e cerveja e é ressarcido com dinheiro público

Luciana Nassar, ALMS

Confraternização de equipe e uma conta de R$ 1.748,50 em uma pizzaria de Campo Grande com rodadas de cerveja, duas garrafas de vinho chileno e chopps, foi ressarcida com dinheiro público. O deputado estadual Pedro Kemp (PT) pediu à ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) ressarcimento do gasto que teve com verba indenizatória, dinheiro destinado a cobrir despesas exclusivas de mandato.


Conforme notícia divulgada no jornal Congresso Em Foco, a conta foi feita em dezembro de 2017. O Instituto OPS, especializado na fiscalização de gastos públicos do Legislativo teve acesso a nota fiscal e divulgou que o deputado foi ressarcido com a verba indenizatória. 


Na nota fiscal constam 42 bebidas alcoólicas, entre cerveja e chopp, além de duas garrafas de vinho chileno Carmen Carmenere. Pedro Kemp conversou com a reportagem do Jornal Midiamax e explicou ter tido erro no ressarcimento da nota. “Fiz reunião com equipe de trabalho durante todo o dia e à noite fomos jantar. Na nota fiscal, entrou como prestação de contas, valores de bebida alcoólica, o que é irregular”, admitiu.


Conforme o deputado, a secretária dele fez a prestação de contas, que inclusive, passou pela auditoria da Casa de Leis. “Não viram. Sempre tive o cuidado de retirar valores de bebidas alcoólicas de notas de refeição”. 


Parlamentares têm direito a indenização com alimentação, mas para serem ressarcidos dos gastos, é preciso preencher e assinar um requerimento específico, junto com os comprovantes de gastos.


Kemp garantiu já ter acionado a tesouraria da ALMS, para fazer a devolução do valor. “Me certifiquei e está errado”.


Conforme a reportagem do Congresso em Foco, o diretor-presidente do Instituto OPS e fundador da Operação Política Supervisionada, Lúcio Big encaminhará ofício à assembleia para que o caso seja apurado e o valor restituído aos cofres da casa.

FONTE: Correio do Estado
tags:
• PT
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium